Edição 34 - Edição Online


NOSSO ARTIGO “UM PROTETOR SOLAR PARA O CLORO DA PISCINA”, PUBLICADO NO NÚMERO ANTERIOR, TEVE GRANDE REPERCUSSÃO. INÚMERAS CARTAS CHEGARAM ATÉ NÓS COM TODO TIPO DE PERGUNTAS SOBRE O ESTABILIZANTE STABILCLOR, NECESSIDADES DE ESTABILIZAÇÃO, DIFERENÇAS ENTRE UM CLORO ESTABILIZADO E O CLORO NÃO ESTABILIZADO, ENTRE OUTRAS. PARA ESCLARECER ESTAS DÚVIDAS, RESOLVEREMOS DAR CONTINUIDADE AO ASSUNTO NESTE NÚMERO.
 
 
Inicialmente, vamos rever os principais tipos de cloro disponíveis em nosso mercado e suas características básicas. 
 
 
1 – CLOROS NÃO ESTABILIZADOS: 
 
a) hipoclorito de sódio (NaOCl) -também chamado de cloro líquido, porque é uma solução aquosa, contém cerca de 10 a 12% de cloro ativo. Uma grama do produto adicionada a 1.000 litros de água fornece residual de 0,1 ppm de cloro. Dissolve-se rapidamente na água, com a qual reage para produzir ácido hipocloroso e hidróxido de sódio (soda cáustica). Quimicamente instável, perde seu residual gradualmente durante a armazenagem. Para diminuir sua instabilidade recebe um excesso de soda cáustica na sua fabricação. Tem pH em tomo de 13. Devido ao grande volume que precisa ser adicionado à água da piscina, e à soda cáustica resultante de sua reação com a água, produz significativo aumento do pH, o que obriga a correções frequentes com pH-Menos®. 
 
 
 
b) hipoclorito de cálcio (Ca(OCl)2), vendido no mercado com a marca POOL-TRAT Cloro Granulado Genco®, contém 65% de cloro ativo (porque uma grama do mesmo adicionada a 1.000 litros de água fornece residual de 0,65 ppm de cloro). Na forma granular, que flui facilmente ao manuseio, é bastante prático de se utilizar. Sua reação com a água produz o ácido hipocloroso e hidróxido de cálcio. Pode ser armazenado por mais de um ano sem perda considerável de seu teor de cloro. Tem pH em torno de 12, porém, devido às pequenas dosagens aplicadas à água da piscina, produz pouco impacto no pH, requerendo correções menos frequentes. 
 
 
 
II – CLOROS ESTABILIZADOS
 
Os cloros estabilizados são produtos fabricados pela cloração parcial ou total do estabilizante de cloro conhecido como ácido isocianúrico (tri-hidróxi-s-triazina). São produtos sólidos que, ao se dissolverem na água, produzem o ácido hipocloroso e o ácido isocianúrico.
 
a) dicloro-isocianurato de sódio (Na2C3N3O3) - GENCLOR® Granulado, ou também chamado de cloro granulado estabilizado, contém 63% de cloro ativo (1 grama do produto em 1.000 litros de água fornece 0,63 ppm de cloro). Em grânulos brancos de ótima fluência, fáceis de manusear, o produto é altamente solúvel na água, fornecendo solução límpida e transparente. Cada grama do produto, após ser dissolvida em 1.000 litros de água, fornece o residual de cloro acima, mais um residual de 0,67 ppm do estabilizante de cloro STABILCLOR®. Tem pH em torno de 6 e, devido à pequena quantidade que é utilizada, quase não produz alteração do pH. Altamente estável, pode ser armazenado por longo tempo sem perda significativa de seu teor de cloro. 
 
 
 
b) tricloro-s-triazina-triona - (Cl3C3N3O3) – Genclor® Tabletes – ou ácido tricloro-isocianúrico – contém 90% de cloro ativo (1 grama do produto em 1.000 litros de água produz 0,9 ppm de cloro) é produzido em pó e em grânulos que têm baixa solubilidade em água, por isso o produto é prensado em tabletes de diversos tamanhos e pesos que propiciam sua utilização na cloração contínua automática de piscinas residenciais dentro de cloradores flutuantes apropriados. Tem pH entre 2,8 e 3, por isso produz rápido abaixamento do pH em águas com pouca alcalinidade. Cada grama do produto dissolvida em 1.000 litros de água, além do cloro residual acima, libera 0,55 ppm de STABILCLOR. Também pode ser armazenado por longo tempo sem perda apreciável de seu teor de cloro.
 
 
 
Atenção: A tricloro-s-triazina-triona, na forma granular ou em pó, jamais deve ser utilizada em piscinas. Sua dissolução lenta conserva seus grânulos ou seu pó presentes na água por longo tempo, sem dissolver-se, causando problemas à pele dos banhistas e ou superfícies da piscina. Soluções concentradas desse produto são instáveis e podem gerar gases perigosos e até explosivos, ou autodetonantes. Só utilize esse produto na forma de tabletes e somente dentro dos cloradores apropriados. 
 
 
Concluindo, qualquer dos produtos mencionados sejam eles cloro estabilizado ou não estabilizado – quando adicionados à água formarão o ácido hipocloroso (HOCI), que é o mesmo produto resultante da reação do gás cloro com a água: 
 
 
 
O que diferencia o cloro estabilizado do cloro não estabilizado é que o primeiro produz o ácido hipocloroso (que é a forma desinfetante e oxidante do cloro) mais um residual de estabilizante de cloro (STABILCLOR®),os quais se ligam (e desligam) entre si numa ligação química muito fraca, que é a responsável pela estabilização do cloro residual. 
 
Contudo não tenha a ilusão de que basta adicionar o cloro estabilizado na água para o residual de cloro durar mais. É necessário um residual de pelo menos 10 a 15 ppm de STABILCLOR® para se observar algum grau de estabilidade do cloro residual e somente residuais de 30 a 50 ppm de estabilizante produzem estabilização efetiva. Uma dosagem de apenas algumas gramas de cloro estabilizado no início do tratamento não colocará na água toda essa dosagem. 
 
Somente após algum tempo de utilização regular do cloro estabilizado é que ocorrerá a estabilização, se não houver perda sensível de água. Esse tempo pode variar de 45 dias (com GENCLOR® - Granulado) a 60 dias (com GENCLOR® Tabletes). 
 
Como já foi observado, esse residual de estabilizante pode ser adicionado à água de forma independente, isto é, não apenas por meio do cloro estabilizado. Essa ligação entre o estabilizante e o cloro residual da água será exatamente igual, já que as moléculas se reconhecem mutuamente pelas suas características químicas e pelo meio em que se encontram e não por sua origem. 
 
Então se conclui que uma piscina que utilize qualquer tipo de cloro pode ser estabilizada, seja esse cloro estabilizado ou não. 
 
Nosso conselho é que TODA PISCINA EXPOSTA AO SOL DEVERIA SER ESTABILIZADA logo no início do tratamento. As piscinas residenciais deveriam ser reestabilizadas automaticamente a cada início de temporada, e as piscinas coletivas deveriam, a cada mês, ter o seu teor de estabilizante analisado e recompletado, para se obter sempre um residual de 50 ppm de STABILCLOR® na água. 
 
Desta forma, independentemente do cloro utilizado, poderemos reclassificar as piscinas, tomando emprestadas do jargão “piscinológico” americano as traduções correspondentes, em: piscinas estabilizadas e não estabilizadas. 
 
Piscina estabilizada é aquela que contém na água um residual de 30 a 50 ppm de ácido isocianúrico (STABILCLOR®), o estabilizante de cloro. Como explicado no número anterior, STABILCLOR® funciona como um verdadeiro protetor solar do cloro, evitando que a luz ultravioleta do sol o decomponha. A consequência é que a água da piscina estará clorada por muito mais tempo com a mesma dosagem diária de cloro, (maior proteção para a saúde dos usuários), ou com dosagens diárias menores (maior economia). 
 
Em contraposição, piscina não estabilizada é aquela que não tem esse residual. 
 
A vantagem da piscina estabilizada não se resume apenas na segurança sanitária do banhista, que deve ser o objetivo principal do tratamento, e na economia do consumo de cloro. Como vimos acima, todos os produtos clorados influem de alguma forma no pH. Como a piscina estabilizada requer menor adição desses produtos, seu impacto no pH também será menor, diminuindo a frequência e a quantidade de produtos para essa tarefa. Da mesma forma, outros parâmetros, como alcalinidade, dureza, transparência etc. de uma água bem tratada serão mantidos e demandarão menos produtos e ou medidas de correção. Veja um exemplo, no quadro abaixo, que resume os resultados de estudo em que diversas piscinas estabilizadas (50 ppm) e não estabilizadas foram tratadas por alguns meses com hipoclorito de sódio (com teor de 15% de cloro ativo). Para manter o residual de cloro entre 1,0 e 1,5 ppm e o pH entre 7,4 e 7,6 as piscinas estabilizadas utilizaram no período – para cada 1.000 litros de água – apenas 30% da quantidade de hipoclorito de sódio e 47% da quantidade de ácido muriático ou clorídrico (HCI) consumidos pelas piscinas não estabilizadas.
 
Consumo médio de cloro ativo (NaOCl) em piscinas expostas ao sol 
 
 

PRODUTO
UTILIZADO

 

CONSUMO / m³

 

 

Com Estabilizante

 

 

Sem Estabilizante

 

NaOCl – 15%

2,6 litros

 

8,6 litros

 

HCl

0,9 litro

 

1,9 litro

 

 
Como se vê, estabilizar vale a pena!

COMPARTILHE:

Copyright © 2018 GENCO® | Todos Direitos Reservados

www.genco.com.br | www.gencopet.com.br | www.aquatrat.ind.br