Revista Pool-life | Edição 66


DESDE 1971, A PREFEITURA DE SÃO PAULO MANTÉM O CENTRO DE CONTROLE DE INTOXICAÇÕES PARA ATENDER A POPULAÇÃO. APESAR DE TANTOS ANOS DE HISTÓRIA E DE GRANDE UTILIDADE PÚBLICA, POUCAS PESSOAS CONHECEM E UTILIZAM O SERVIÇO
 
 
Dor de cabeça, insônia, cansaço, desânimo, fraqueza, coriza, tosse, alterações intestinais e de pele são sintomas geralmente combatidos com analgésicos e anti-inflamatórios, contudo podem indicar mais do que um simples mal-estar. Podem indicar também uma intoxicação crônica. “Em geral, as intoxicações agudas são percebidas mais facilmente, porque os sintomas surgem abruptamente em pessoas aparentemente saudáveis: vômitos, diarréia, falta de ar, suor e salivações excessivas, alterações de visão, palpitações, tontura vertigem, alucinações e convulsões são alguns deles”, esclarece a Darciléa Alves do Amaral, médica coordenadora do Centro de Controle de Intoxicações do município de São Paulo, CCI.
 
Como os sintomas variam conforme o agente tóxico ao qual a pessoa foi exposta, sua quantidade, via de introdução no organismo (ingestão, inalação, contato cutâneo, etc.) e até mesmo as condições de saúde (idade, raça e gênero), o mais indicado é procurar sempre o auxílio médico.
 
Quando entra em contato com o CCI, o paciente – intoxicado ou com suspeita de intoxicação - é instruído a procurar o serviço de saúde mais próximo do local da ocorrência, em situações de urgência. Caso não seja uma emergência, indica-se uma consulta médica com um profissional de sua confiança.
 
A principal atividade do CCI é fornecer orientação aos profissionais de saúde sobre o diagnóstico e tratamento de intoxicações, por meio de atendimento telefônico. O médico de plantão também orienta as pessoas quanto aos primeiros socorros e medidas de descontaminação, em casos de exposição a substâncias tóxicas.
 
Mantido pela prefeitura, o CCI foi criado por decreto em 1971 na gestão do prefeito Figueiredo Ferraz, com a função de fornecer informações, diagnóstico, tratamento e prevenir intoxicações e doenças relacionadas à exposição a produtos químicos.
 
Embora atenda, em média, 40 ocorrências por dia, o CCI ainda é pouco utilizado pela população. “Os profissionais de saúde conhecem bem o Centro, mas as empresas e a população não o utilizam como deveriam, talvez por falta de conhecimento”, acredita Darciléa. 
 
Thaís Escanhoela
 
 
O que você deve saber…
 
As intoxicações podem ser classificadas de diversas maneiras, de acordo com as classes de agentes as circunstâncias de exposição, o período e local de exposição e a gravidade.
 
As intoxicações mais graves são as que ocorrem com _raticidas ilegais, inseticidas de uso agrícola, drogas de abuso, como álcool, cocaína, e medicamentos que entram em ação no sistema nervoso central (antiepilépticos, antidepressivos e antipsicóticos).
 
Segundo Darciléa, as crianças são alvo frequente de intoxicações, porque explorem bastante o ambiente em que vivem, levando tudo à boca._ Geralmente, as intoxicações podem ser controladas satisfatoriamente se diagnosticadas e tratadas a tempo, antes que alterações significativas ocorram no organismo.
 
 
SERVIÇO
 
O Centro de Controle de Intoxicações atende pelos telefones do plantão médico: 
(11) 5012-531 1 ou 0800-7713733.

COMPARTILHE:

Copyright © 2018 GENCO® | Todos Direitos Reservados

www.genco.com.br | www.gencopet.com.br | www.aquatrat.ind.br