Revista Pool-life | Edição 66


O AZUL DA ÁGUA DEVE CONTRASTAR COM O VERDE DA NATUREZA, COMO UMA MOLDURA EM UMA TELA.
SE VOCÊ DESCARTOU PLANTAS NATURAIS DE SEU PROJETO PAISAGÍSTICO PARA SE LIVRAR DAS INDESEJÁVEIS FOLHAS QUE INSISTEM EM CAIR NA ÁGUA, VEJA COM ESPECIALISTAS DESSA ÁREA COMO PISCINA E VEGETAÇÃO PODEM CONVIVER HARMONIOSAMENTE.
 
 
O desejo dos proprietários era ter muito verde próximo à piscina, e foram prontamente atendidos pela arquiteta e paisagista Christiane Roncato, de Campinas, SP. Os 500 m2 de área externa foram envolvidos por vegetação. Christiane usou guaimbés (Philodendron selloum), cicas (Cycas revoluta) e coqueiros da Bahia (Cocos nucífera) contornando a piscina. “Essas espécies são de fácil manutenção. O guaimbé tem folhas enormes – com até 50 cm de largura –, que não entopem o ralo. As folhas da cica e do coqueiro são duras, e quando secam precisam ser retiradas”, sugere Christiane. A cascata também recebeu espécies de fácil cultivo. É o caso da russélia (Russelia equisetiformis) que, mesmo sendo um arbusto, praticamente não tem folhas. Com exceção da borda de cerâmica, toda a área é coberta de grama esmeralda (Zoysia japônica). Nesse caso, vale a dica da paisagista: “Gramas são sempre complicadas. Aconselho podá-las uma vez por semana para que se mantenham baixas e não espalhem suas folhas pela piscina”.
 
Um jardim bem tropical foi a proposta do engenheiro agrônomo Eduardo Wolff, de São Paulo, SP, para a área de lazer de 120 m2. A borda da piscina, de pedra goiás, com 1,10 m de largura é o divisor entre a água e a vegetação. Eduardo demarcou o ambiente com palmeiras imperiais (Roystonea regia), alpínias (Alpinia zerumbete), palmeiras-areca (Dypsis lutescens), pata-de-elefante (Beaucárnea recurvata), dracenas (Dracaena deremensis), tumbérgias (Thumbergia grandiflora), pândanos (Pandanus utilis), arundinas (Arundina bambusifolia), helicônias (Heliconia rostrata), íris (Iris germânica), dietes (Dietes bicolor), guaimbés e cicas. A escolha das espécies baseou-se na facilidade de limpeza da área. Embora a piscina tenha borda com calha para o escoamento de água, Wolff alerta para a importância da vegetação. “Além de serem agradáveis, os jardins são áreas permeáveis, que eliminam o acúmulo de água no deck, evitando acidentes”, completa.
 
O desafio do paisagista Eduardo Luppi, de São Paulo/SP, não foi apenas escolher espécies de baixa manutenção para o uso ao redor da piscina. Nesta cobertura, em Foz do Iguaçu PR, as plantas selecionadas também deveriam estar preparadas para as diferenças de temperatura. “A cidade convive diariamente com dois extremos: calor insuportável, revela. Como participou do projeto da cobertura ainda durante a obra, Luppi pôde prever floreiras envolvendo toda a área. Foram implantadas kaizukas (Juniperuschinensis), fórmios (Phormium tenax), palmeiras fênix (Phoenix roebelenii), cicas, bromélias (Bromeliaceae sp), murtas (Eugenia sprengelii), buxinhos (Buxus sempervirens), seriças (Serica japonica) e azaléias anãs (Rhododendron sp). Em vez de gramado, Luppi optou por grama-preta (Ophiopogon japonicus), cascas de pinus e seixos rolados de rio, que não dão trabalho. O sistema de irrigação, feito de tubulação de PVC com furinhos, é acionado automaticamente. Como deve ser um jardim de contemplação também à noite, a iluminação é feita por spots de alumínio com lâmpadas blindadas PAR 20 e PAR 38.
 
O projeto da paisagista Helena Justo, de São Paulo/ SP, prevê somente plantas de baixa manutenção em virtude da proximidade com a piscina. A ideia é manter as espécies existentes e acrescentar plantas de folhas largas que não caem com frequência, como a palmeira areca de locuba (Dypsismadagascariensi), fórmio, helicônia papagaio (Heliconia psittacorum) e papiro (Cyperus giganteus). Além da grama esmeralda, Helena criou alguns volumes com grama amendoim e alerta: “qualquer gramado exige manutenção, por isso a dica é mantê-lo podado na área próxima à piscina”.
 
Thaís Escanhoela
 
 

 

Cod.

 

Nome Popular

 

Nome científico

 

01

 

Grama esmeralda

 

Zoysia japônica

 

02

 

Fórmios

 

Phormium tenax

 

03

 

Árvore Existente

 

-

 

04

 

Pedra

 

-

 

05

 

Grama amendoim

 

Arachis repens

 

06

 

Helicônia

 

Heliconia psittacorum

 

07

 

Areca de locuba

 

Dypsis madagascariensi

 

08

 

Papiro

 

Cyperus giganteus

 
 
BEM-VINDO!
 
Aquela tradicional “caçada” às folhas com a peneira pode ser evitada a partir do uso de espécies que não desfolham facilmente com o vento. Veja abaixo uma seleção de plantas, escolhidas a dedo por paisagistas e profissionais da área. Com certeza, sua piscina vai ficar sempre limpa e convidativa!
 
Cica
(Cyrus revoluta) 
Suas folhas são grandes e firmes, e raramente caem. Possui crescimento lento e é de baixa manutenção.
 
Palmeira fênix
(Phoenix roebelenii) 
Suas folhas são bem firmes e o visual tropical contribui para o paisagismo. Com o tranco torto e irregular, é muito ornamental.
 
Fórmio
(Phormium tenax)
Suas folhas longas e laminares são firmes. Originária da Nova Zelândia, atinge 3 metros de altura.
 
Nolina 
(Beaucárnea recurvata)
Possui folhas longas e firmes que demoram a secar, além de ter um visual bem tropical. Natural do México, tem crescimento muito lento.
 

COMPARTILHE:

Copyright © 2018 GENCO® | Todos Direitos Reservados

www.genco.com.br | www.gencopet.com.br | www.aquatrat.ind.br