Revista Pool-life | Edição 82


Principais cuidados com a piscina no inverno
 
Durante a alta temporada a piscina, é um centro de diversão e descontração. No calor dessas atividades ninguém pensa em interditá-la para executar algum reparo, por menor que seja, exceto, é lógico, aqueles de emergência. O resto sempre fica para depois.
 
Bem, agora com a chegada do outono e inverno é hora de começar a planejar – e executar – tudo aquilo que precisa ser feito, desde as tarefas simples como inspeção do filtro, motobombas, tubulações, pequenos reparos e até as reformas mais pesadas, como troca do piso do solário, do revestimento da piscina, remanejamento do jardim, entre outros. A época é muito boa para tudo isso por dois motivos muito importantes: Primeiro porque a piscina é pouco utilizada no outono, e praticamente esquecida no inverno, então você pode usar o outono para planejar e o inverno para executar. Segundo porque nessa época a incidência de chuvas é bem menor e as interrupções dos trabalhos serão diretamente proporcionais. Podemos ainda adicionar urna terceira: fora da temporada, os profissionais do setor estarão mais disponíveis e seus preços, menos salgados.
 
Então, mãos à obra, faça sua lista de tarefas e projetos. Para que você não esqueça nenhum detalhe, discorreremos sobre alguns itens relacionados ao tema.
 
 
O SISTEMA HIDRÁULICO
 
O sistema hidráulico não deve ter nenhum vazamento, por menor que seja. Vazamentos constituem desperdício e sempre causam outras consequências, como corrosão, riscos sanitários (exemplo: empoçamentos de água que podem desenvolver micro-organismos), entre outros. 
Inspecione toda a instalação e se constatar algum vazamento, o procedimento para localizá-lo é isolar cada uma das diversas partes do sistema. Em seguida, tome as providências necessárias para saná-lo.
 
 
TUBULAÇÕES
 
Uma medida para evitar complicação com tubulações é procurar fixá-las firmemente nas paredes da piscina: assim, se o terreno ceder, os tubos estarão bem apoiados.
 
A tubulação que fica no lado da sucção da bomba precisa ser inspecionada com a motobomba desligada porque, quando ela funciona, esse lado da tubulação está sob pressão negativa e por isso a água não vaza, ao invés disso, haverá entrada de ar no sistema. Essa admissão de ar pode ser vista sob a forma de bolhas no pré-filtro da bomba quando sua tampa é transparente.
 
 
FILTRO
 
É uma boa hora para verificar o estado e o nível da areia (trocá-la ou completar seu nível), inspecionar o estado geral do filtro, da válvula multívias e o funcionamento do manômetro que fornece informação importante como pressão de trabalho do sistema, que indica quando o filtro deve ser retrolavado. Qualquer substituição deve, de preferência, ser feita nesta época.
 
filtro
 
 
MOTOBOMBA
 
A motobomba é um dos equipamentos mais sujeitos a desgaste, uma vez que está em constante movimento. É fácil detectar se a bomba está funcionando direito observando o alinhamento do eixo do motor em rotação e ouvindo o seu barulho.
 
Motobombas em perfeitas condições apresentam eixo em alinhamento perfeito, sem oscilações, e ruído uniforme. Um serviço especializado pode determinar facilmente onde está o problema (quebra de rolamento, defeitos na parte elétrica, etc.) e tomar as providências necessárias.O funcionamento perfeito do filtro evitará comprometimentos da qualidade da água.
 
 
PISCINA E SEU SISTEMA HIDRÁULICO
 
sistema hidráulico
 
 
REVESTIMENTOS
 
Todos os revestimentos de piscinas sofrem continuamente os efeitos danosos do sol, da água e dos produtos químicos. Suas cores desbotam, seu brilho empalidece. Inspecione-os e decida se precisam de reparos, troca ou repintura do revestimento que permitirão mudança de sua cor se, por algum motivo, você já estiver cansado(a) da atual.
 
 
REPARO DE AZULEJOS
 
Azulejos quebrados ou trincados, se não trocados, tornam-se perigosos por apresentarem superfícies cortantes. Rejuntes podem soltar-se e predispor os azulejos a se descolarem das paredes. Caso irregular, troque imediatamente.
 
Foto submersa do azulejo da piscina
 
 
PISCINAS PINTADAS
 
Geralmente a pintura de piscinas deve ser renovada depois de algum tempo. Chegou a hora da sua? Lembre-se de que é sempre necessário detectar com segurança a tinta que está recobrindo a piscina atualmente. Se a pintura anterior não for totalmente removida, somente o mesmo tipo de tinta pode ser reaplicado sobre a mesma porque muitas delas são incompatíveis entre si.
 
Outros cuidados importantes: preparação correta das superfícies, secagem completa das mesmas e temperatura (do ambiente e das superfícies) adequadas durante a aplicação.
 
Caso não vá utilizar serviços profissionais para a tarefa, certifique-se de seguir à risca todas as instruções dos produtos que vai utilizar. Em caso de dúvida, nunca deixe, de consultar o fabricante da tinta. Só recoloque água na piscina após decorrido todo o tempo necessário para secagem e/ou cura da tinta.
 
 
REVESTIMENTOS DE FIBRA DE VIDRO
 
A repintura das piscinas de fibra é um trabalho que sempre requer a intervenção de pessoal técnico especializado, de preferência da própria fábrica ou habilitado pela mesma. A técnica também pode ser aprendida em algumas horas. mas a experiência requer mais tempo. A pintura pode ser feita com gel coat, tinta poliuretânica ou epóxi. Mas cuidado, se for usar gel coat (resina de poliéster), que é a mesma que recobre a piscina original, há tipos de resina que resistem a água mas não podem ficar submersas (podem ser aplicadas em automóveis. por exemplo, mas não em piscinas ou barcos). Não escolha a mais barata e sim a mais adequada para a aplicação.
 
É sempre bom dar uma proteção adicional à cor do gel coat adicionando-lhe um inibidor UV. Isso evitará seu desbotamento prematuro pela ação do sol.
 
Problemas de trincas e vazamentos na fibra devem ser solucionados antes da pintura, remendando-se resina de poliéster e reforço de fibra de vidro nas áreas danificadas e dando-lhe o acabamento liso e homogêneo com o restante do material.
 
fibra de vidro
Piscinas de fibra de vidro em amostra
 
 
REVESTIMENTOS DE VINIL
 
Embora estas não possam ser repintadas, apresentam a vantagem de se poder trocar todo o revestimento de uma só vez, dando-lhe a aparência totalmente nova. É recomendável que o novo lençol vinílico seja fornecido pelo mesmo fabricante da piscina.
 
 
DECKS DE MADEIRA
 
Decks e solários de madeira devem, geralmente, ser envernizados a cada um ou dois anos. O verniz adequado impermeabiliza a madeira, protegendo-a, e torna sua superfície mais lisa, de forma a facilitar sua limpeza e sanitização.
 
deck de madeira
Piscina com deck de madeira
 
 
CIMENTO E CERÂMICA
 
Decks e solários de cimento ou outros materiais devem ser examinados para detectar irregularidades que facilitam a formação de poças de água, outra fonte de insegurança sanitária, as quais, se presentes, devem ser eliminadas.
 
Ambos revestimentos devem permitir rápido escoamento da água, tanto de chuvas quanto de banhistas, sem empoçamentos, nunca para dentro da piscina.
 
 
DECKS MÓVEIS
 
Verifique especialmente os decks móveis que podem apresentar partes pontiagudas, que se constituem em perigo para os usuários. Uma vez detectados, elimine-os do recinto e providencie seu conserto ou readequação. Pequenos cuidados como esse podem parecer não apresentar efeitos (exatamente porque foram corretos e eficazes em prevenir acidentes!). Pequenos descuidos podem causar grandes catástrofes.
 
 
JARDIM
 
O jardim merece atenção especial pois é o ambiente que completa a piscina (lembre-se de que depois do inverno vem a primavera!). Relacione todas as providências a serem tomadas, como corte e cobertura da grama com terra para evitar a sua queima pelo frio, poda de plantas, plantio de novas espécies, remanejamento de canteiros.
 
Se você pretende fazer uma reforma no jardim, ou só manipulação de grande quantidade de terra, pode ser uma boa opção incluir na sua lista a instalação de capa para a piscina!
 
A princípio, verificar todos os detalhes relacionados à piscina e ao redor dela parece trabalhoso. Mas, se você planejar com antecedência e contratar serviços especializados para realizar essas tarefas, sua piscina estará livre de apresentar problemas. Muito pelo contrário, ela lhe oferecerá muito prazer e tranquilidade para serem desfrutados com seus amigos e familiares na próxima temporada.
 
 

 

NÃO ESVAZIE A PISCINA NO INVERNO
 
 
As paredes e o fundo de uma piscina vazia, exposta as intempéries, sofrem repetidas contrações e expansões provocadas pela variação da temperatura. A queda de temperatura provoca a expansão do solo que circunda a piscina, o que se traduz em pressão sobre as suas paredes de fora para dentro. Essas pressões, exercidas dia após dia, acabam por provocar rachaduras nas paredes e no fundo da piscina.
 
Lençóis de água subterrâneos podem aflorar sob pressão em certos terrenos (pressão de baixo para cima), sendo esses afloramentos capazes ate de fazer flutuar uma piscina inteira, quando vazia, ou somente sua parte mas leve, causando serias rupturas no concreto e tubulações.
 
Quando a piscina está cheia o peso da água se equilibra com as pressões existentes, evitando qualquer dano. Dentro do próprio concreto as moléculas de água sofrem contrações e expansões que causam o gretamento da tinta em piscinas pintadas e sua consequente escamação.
 
Uma piscina cheia de água confere as superfícies em contato grande estabilidade térmica – a água absorve lentamente as variações da temperatura e as transmite também lentamente às superfícies em contato, sem choques térmicos (mudanças bruscas de temperatura). Algumas rachaduras muito finas nas paredes podem passar despercebidas e quando a piscina for enchida novamente a água se infiltrará pelas mesmas, podendo até minar o terreno adjacente.
 
Rachaduras no concreto de uma piscina são muito difíceis de reparar devido a problemas de liga do concreto já curado. Ha casos em que uma nova piscina tem de ser construída dentro da piscina anterior.
 
Outra vantagem que deve ser considerada numa piscina cheia: um reservatório de água para a eventualidade de um incêndio.
 

 

 
NÃO ABANDONE O TRATAMENTO DA ÁGUA
 
 
Água sem tratamento, mesmo durante o inverno, se deteriora pelo desenvolvimento de algas, bactérias, fungos etc. com resultados desagradáveis como mal cheiro, aparência repugnante, riscos para a saúde, entre outros.
 
A piscina não tem só a finalidade esportiva e recreativa. Ela é também um elemento decorativo que valoriza o ambiente, enriquece a paisagem e valoriza o imóvel.
 
Se sua aparência não for cuidada, todas essas características positivas assumem valores negativos.
 
Tratar a água da piscina no inverno é muito mais fácil do que na temporada, sendo mais econômico também. Basicamente, o tratamento da água no inverno é o mesmo realizado na temporada. Só que a frequência e as dosagens dos produtos utilizados serão bem menores.
 
 
O TRATAMENTO FÍSICO
 
A remoção de folhas e outros objetos estranhos, assim como a aspiração do fundo e escovação das paredes, continuará sendo necessária para manter o aspecto limpo e agradável da piscina. A sua frequência varia para cada caso, certamente. Essa tarefa também pode ser eliminada instalando-se uma capa de cobertura que impeça a queda de sujeira na água.
 
A filtração diária também deve ser mantida para promover a oxigenação da água, manter sua limpidez e homogeneizar a solução do cloro. A instalação de um timer programador (time clock), que liga e desliga a bomba do filtro todos os dias em horas pré-determinadas, evitará o trabalho de termos de fazê-lo manualmente.
 
Os equipamentos que não forem utilizados, como peneira, escovas, entre outros, devem ser guardados em local seco e bem ventilado, para mantê-los preservados para a utilização na temporada seguinte. Como se vê, o tratamento da água da piscina no inverno (e por que não o ano inteiro?) pode ser bastante simples, econômico e praticamente automático.
 
Seguindo estes conselhos teremos sempre uma piscina bonita e bem cuidada, pronta para um mergulho caso o tempo resolva permitir e ainda evitaremos os problemas mencionados, que trazem mais dores de cabeça do que economia.
 
 
 

 

TRATAMENTO DA ÁGUA NO INVERNO
 
 
DIARIAMENTE
 
1) Acione a filtração por 2 a 6 horas, ou conforme instruções do fabricante do filtro.
 
2) Aspire sempre que for necessário.
 
 
 
SEMANALMENTE
 
1) Analise o pH e o residual de cloro livre e ajuste-os quando fora da faixa recomendada.
 
 
 
QUINZENALMENTE
 
1) Aplique SUPER TRATAMENTO SEMANAL OXIGENCO® GENCO®.
 
2) Aplique GENFLOC® CLARIFICANTE E AUXILIAR DE FILTRAÇÃO GENCO®.
 
3) Adicione ALGICIDA MANUTENÇÃO GENCO® ou o GENPOOL® ALGICIDA FIBRA VINIL GENCO®.
 
 
 
MENSALMENTE
 
1) Analise a alcalinidade total e ajuste-a se fora da faixa recomendada.
 
 
 
TRIMESTRALMENTE
 
1) Analise a dureza cálcica e ajuste-a quando necessário com GENCÁLCIO® Dureza Cálcica GENCO® granulado.
 
 
 
CLORAÇÃO NO INVERNO
 
No inverno, continue mantendo o residual de cloro livre na faixa de 2 a 4 ppm utilizando as opções de cloração a direita. Escolha a opção mais adequada à sua necessidade!
 
Siga sempre as instruções (disponíveis nas embalagens e também no site www.genco.com.br) de uso do produto que estiver utilizando. Monitore o residual de cloro com freqüência para assegurar água saudável, limpa e cristalina.
 
 
 
IMPORTANTE
 
Leia atentamente e siga as instruções completas contidas nos rótulos dos produtos recomendados.
 
Nunca misture produtos químicos entre si. Adicione-os, separadamente, somente à água da piscina.
 
 
produtos genco
 
 
 

COMPARTILHE: